Prefeito de Mampituba vira réu em processo de improbidade administrativa

O Ministério Público de Torres investigou a possível venda de cargos por parte do prefeito de Mampituba, Dirceu Gonçalves Selau. Conforme a investigação, o prefeito exigia pagamentos de R$ 10 mil para secretários e R$ 7.500,00 para CCs assumirem os cargos. Em maio o promotor de Torres Marcelo Araújo Simões encaminhou à juíza da 2ª Vara Civil de Torres o relatório de suas investigações, pedindo a condenação do prefeito através de uma Ação Cível de Improbidade Administrativa. 

A juíza Rosane Bem da Costa acatou a denúncia e notificou o prefeito para apresentar por escrito sua defesa inicial em dez (10) dias. A ação começou com uma denúncia no Ministério Público do ex-vereador João Pacheco Lopes. O promotor intimou e ouviu as ex- secretárias da Saúde Marta Aguiar e Maria Gorete Brocca. Ambas confirmaram a denúncia, sendo que a primeira negou-se a pagar e foi demitida.  Já a segunda pagou e mesmo assim foi demitida. Segundo o MP ela  solicitou empréstimo no Banrisul para pagar o prefeito.  Foi ouvida pelo MP a atual secretária da Saúde, Ana Maria Borges que não confirmou negociação. Também foram ouvidos os servidores Reni dos Santos, Mateus Teixeira e Teresinha Seleci Silva. O processo está em andamento sob nº 0004480-13.2018.8.21.0072.

A reportagem tentou contato com o prefeito Dirceu Gonçalves Selau, mas o mesmo está em férias. 

Fonte: 

 

Categoria:Litoral

Deixe seu Comentário