A uma semana da semifinal, time do Grêmio é uma incógnita

Faltando exatamente uma semana para o primeiro duelo da semifinal da Libertadores da América diante do River Plate, na Argentina, o time do Grêmio que entrará em campo no Monumental de Nuñez é um grande ponto de interrogação, tanto no esquema de jogo quanto nas peças que Renato Portaluppi poderá escalar. O mais novo e principal problema chama-se Luan. O meia-atacante voltou a sentir dores em função de uma fascite plantar e virou dúvida.

O jogador realizou um exame de imagem ontem no final da tarde e terá de submeter-se a intensas sessões de fisioterapia para tentar jogar no dia 23. Outro atleta que preocupa a comissão técnica é o volante Ramiro. Ele sofreu um estiramento no ligamento colateral medial do joelho direito e terá de correr contra o tempo para encarar o River.

“São jogadores importantes, me preocupa sim”, admite Renato Portaluppi. “Por mais que o nosso grupo seja qualificado, quando temos três, quatro jogadores fora, sentimos essas perdas”, reforça o capitão Maicon. Por outro lado, a boa notícia é a surpreendente recuperação do atacante Everton, que sofreu uma lesão muscular de grau 2 há dez dias e não apresenta mais quadro de dor nos trabalhos. O goleiro Marcelo Grohe também evoluiu na sua recuperação de um problema muscular e deve jogar. Os laterais Leo Moura e Bruno Cortez são os casos menos preocupantes.

Além dos problemas de lesão, Renato também viu o time apresentar falhas no sistema de marcação e na criatividade nas duas últimas partidas, justamente quando a equipe voltou a atuar com um centroavante. A presença de Cícero e Maicon nas duas primeiras funções do meio-campo deve ser repensada, já que com esse modelo o time sofreu quatro gols contra Bahia (2 a 2) e Palmeiras (2 a 0). Depois da derrota para o Palmeiras, o grupo se reapresenta hoje no CT Luiz Carvalho.

Categoria:Geral

Deixe seu Comentário