Subiu para 1.546 o número de casos confirmados do novo coronavírus no Brasil, de acordo com as informações repassadas pelos estados ao Ministério da Saúde neste domingo. Até o momento, 25 mortes estão confirmadas por conta da Covid-19 em território nacional. "Quando chegou na Europa o mundo ocidental começou a tomar ciência. Todos os países do mundo estão tomando as mesmas medidas", destacou o titular da pasta, Luiz Henrique Mandetta, que notou que o primeiro caso do Brasil foi confirmado há cerca de um mês, em 26 de fevereiro. "Veremos como as projeções se comportaram e faremos novas", disse.

Mandetta mencionou também o fato de que alguns prefeitos não guardam correlação com o momento em que a cidade está passando, em atitudes que chamou de "intempestivas". "É preciso definir o que é essencialidade, é importante para que não façamos da paralisação total um remédio mais duro do que o próprio vírus. É preciso chegar o cloro para tratar a água que abastece as cidades. É preciso que o pessoal da segurança possa ir e vir, que quem mantenham empresas possam se locomover. Que uma série de materiais chegue. Não é uma competição de quem manda no que, é planejamento e organização. Precisamos definir melhor os períodos de interrupção", avaliou, dizendo que tudo dever ser muito bem estudado "para não ter efeitos secundários".

Conforme o ministro, a doença tem muitas faces. "Também é doente a fake news. Fizeram um áudio dizendo que era a minha voz. Estou aqui para dizer que não gravo nenhum áudio. Tudo que eu falar será dito em frente às câmeras. Eles doentinhos da fake news gostam de usar a autoridade de alguém para passar trotes, assustar pessoas", alertou, prevendo que mais desinformação seguirá.

Deixe seu Comentário