A elevação da temperatura provocou um aumento no fluxo da BR 290 (freeway) rumo ao Litoral Norte, que foi classificado novamente com bandeira vermelha no mapa preliminar da 11ª rodada do Distanciamento Controlado para conter o avanço da pandemia do novo coronavírus. Na manhã deste sábado, a concessionária CCR ViaSul registrou a passagem de cerca de 3,6 mil veículos na praça de pedágio de Santo Antônio da Patrulha em direção às praias. No mesmo período dos sábados anteriores deste mês, a concessionária da rodovia havia registrado em torno de 2,6 mil no dia 11 e aproximadamente 3,2 mil no dia 04. 

A reportagem apurou inclusive que o 2° Batalhão de Policiamento de Áreas Turísticas (2°BPAT) da Brigada Militar fez uma estimativa extraoficial de que cerca de 80% das casas de veranistas estavam ocupadas neste sábado em todo o Litoral Norte.

O diretor de Programação da Rádio Comunitária Tupancy, Alexandre Ribeiro, circulou nas ruas de Arroio do Sal na manhã deste sábado com o carro. “Está bem movimentado. A praia tá lotada, parece que não está acontecendo nada. Em todas as casas de veranistas têm gente”, avaliou. “O litoral praticamente está sem leito e medicamento”, alertou. 

Já o presidente da AMLINORTE e  prefeito de Imbé, Pierre Emerim da Rosa, fez um desabafo em sua rede social. “Não imaginava que depois de tanta recomendação e informação as pessoas pudessem novamente se dirigir em massa ao Litoral Norte. A freeway lotada, com pessoas vindas especialmente da Região Metropolitana, e nós vivendo esses caos”, lamentou. “Este movimento de final de semana parece àqueles de dezembro, de pré-verão...”, comparou.  “Porto Alegre tem mais restrições e as pessoas acabam migrando para o Litoral por causa disso”, avaliou. 

Perigo iminente

Para Pierre Emerim da Rosa, o “perigo é iminente”. Ele lembrou que muitas pessoas são assintomáticas e não sabem que tem o novo coronavírus. “Elas acabam indo de uma forma ou outra indo no supermercado ou no restaurante para pegar comida. Os mercados estão lotados...parece mesmo pré-verão”, enfatizou, citando ainda o movimento na barra e na beira-mar. “A situação está bem complicada embora os municípios estejam fiscalizando e orientando”, observou. 

O prefeito de Imbé afirmou ainda que “infelizmente as pessoas pensam que o Litoral é uma zona free e tudo é possível”. Pierre Emerim da Rosa constatou que as pessoas “não estão cumprindo com as regras de distanciamento social e protocolos sanitários”. Na opinião dele, esses comportamentos terão consequências. “Nós vamos pagar caro por esse preço”, previu.