O Hemisfério Sul ainda está oficialmente no inverno astronômico, mas, na prática, a atmosfera já gradualmente apresenta um padrão de primavera com grande variação térmica e maior freqüência de temporais no Sul do país, notadamente no Rio Grande do Sul e em parte de santa Catarina. A última onda de frio deste inverno foi histórica e derrubou a temperatura em extensa área do território nacional. Desde então a umidade e a instabilidade estão retidas entre o Uruguai e o Rio Grande do Sul pelo grande bloqueio atmosférico que cobre a maior parte do Brasil e não tem permitido a chegada de uma massa de ar polar que favoreça sequência de dias secos e gelados.

No começo da próxima semana, contudo, esse cenário tende a mudar. Modelos numéricos indicam o avanço de uma massa de ar polar que terá muito curta atuação e que provocará queda na temperatura e frio com potencial de geada em alguns pontos.

Um sistema de alta pressão com centro de 1.028 hPa irá se deslocar pelo Uruguai e Rio Grande do Sul entre segunda e terça-feira. A temperatura começará a cair a partir da tarde de segunda com previsão de uma tarde de melhora no tempo e sensação de frio em razão do vento persistente do quadrante Sul. As mínimas da segunda-feira ocorrem à noite, no fim do dia. O amanhecer mais frio da semana será o de terça com previsão de marcas inferiores a 10°C em grande parte das regiões.

Marcas inferiores a 5°C são esperadas entre a Campanha, o Sul, a Serra e os Aparados. Na Serra do Sudeste não se descarta marcas ao redor de zero. O ar seco e a queda na temperatura elevam o risco de formação de geada, especialmente no Uruguai.

No Rio Grande do Sul, chance até existe de geada, porém muito isolada e restrita a pontos principalmente da Serra do Sudeste e também dos Aparados da Serra.

Deixe seu Comentário