Depois da derrota para o Goiás pelo Brasileirão no último final de semana e da vitória sofrida contra o América de Cali na quarta-feira pela Libertadores, o Inter voltou aos gramados buscando uma retomada do bom futebol apresentado no início da temporada. Mas, no Ceará, o Colorado não teve uma noite inspirada e perdeu por 1 a 0 para o Fortaleza na noite deste sábado. Sem força criativa e ofensiva, a equipe de Eduardo Coudet foi burocrática e agora vê a liderança do campeonato em risco.

Apesar do bom posicionamento nos minutos iniciais, que poderiam indicar um time que cresceria durante a parcial, o que se viu foi um Inter, assim como um Fortaleza, pouco inspirado e sem grandes jogadas. Mesmo com as tentativas, as duas partes pouco incomodaram os goleiros adversários. Na segunda metade, o jogo ficou mais tenso com uma revisão no VAR logo aos três minutos – não foi encontrada nenhuma irregularidade. Aos 20 minutos, Felipe marcou para os mandantes com um chute de fora da área.

Com o resultado, a equipe de Porto Alegre estaciona nos 20 pontos e pode perder a liderança no campeonato na rodada.

Primeiro tempo equilibrado 

O Colorado começou a partida com maior presença no meio campo e a tradicional postura ofensiva. Logo no primeiro minuto, Osvaldo perdeu a bola no meio de campo, e o Inter partiu para o ataque. Edenilson cruzou e Léo Ferreira cabeceou pela linha de fundo. A marcação alta pressionava a saída de bola dos mandantes e dava cadência ao meio de campo e espaço pela jogadas principalmente pelas extremidades. Em uma oportunidade, Leandro Fernández disparou pela direita e fez o cruzamento, afastado por Quintero pela linha de fundo.

Ao mesmo tempo, a articulação mais ofensiva dava espaço para contra-ataques. E foi assim que o Fortaleza construiu suas melhores chances. Aos 8 minutos, Wellington Paulista tentou encontrar Carlinhos na pequena área. Lomba afastou de soco e, na continuação da jogada, os cearenses conseguiram o escanteio. Na sequência do lance, o camisa 9 do tricolor caiu na área após disputa com Moisés. A arbitragem mandou seguir e nada aconteceu.

Enquanto o cronômetro corria, a partida se equilibrava. Ao 13, Leandro Fernández fez jogada individual pela direita, se livrou da marcação, mas finalizou mal, pela linha de fundo. A equipe de Ceni respondeu com Osvaldo na velocidade: tirou bonito de Saravia, fez o cruzamento. Dentro da área, Romarinho finalizou sem jeito. Já aos 18, Juninho se aproveitou de erro de marcação e encontrou Felipe livre próximo à meia-lua. Ele bateu bonito de fora, mas a bola foi para fora.

Um dos destaque do Colorado na primeira parcial, Leandro Fernández teve boa chance aos 23, quando recebeu de Edenílson pela direita e, dentro da área, limpou bonito a zaga. De esquerda, chutou já caindo. A bola encontra a rede, pelo lado de fora. Já aos 31, o argentino disputou na velocidade com Jackson, que perdeu. O colorado entrou sozinho na área pela esquerda e cruzou para Léo Ferreira, que não alcançou a bola e perdeu grande oportunidade. A jogada, porém, foi invalidada pela arbitragem. 

Se o camisa 18 era a principal arma gaúcha na fraca criação, o time não tinha um homem de referência para finalização. Pelo lado tricolor, a articulação ofensiva passava Romarinho e Juninho, mas a equipe também sofria com a falta de criatividade e no arremate final. E, com duas equipes burocráticas e pouco inspiradas, a primeira parcial terminou sem gols.

Segundo tempo quente

Após um primeiro tempo morno, um lance logo no início do segundo tempo esquentou a partida. Aos 3 minutos, a arbitragem foi chamada pelo VAR para conferir dividida de Paulão com Musto em cobrança de falta colorada. Após checar o vídeo, o árbitro considerou a jogada normal e mandou a partida seguir. Apesar dos ânimos acirrados, a falta de criatividade e de qualidade no último passe permaneciam em campo. Aos dez minutos, Moisés disparou pela esquerda e tentou cruzar para o meio: mais um erro.

Com a entrada de D'Alessandro, que começou a etapa complementar no lugar de Johnny e fez seu jogo de número 499 com o Inter, o time ganhou maior refinamento no toque de bola. Aos 13, ele achou Leandro Fernández que, dentro da área, errou o gol. Na sequência, o argentino recém chegado a Porto Alegre tocou para Léo Ferreira, que chuta em cima de Paulão.

Se faltavam jogadas bonitas, ou ao menos criativas, Felipe, que já tinha arriscado de fora de área no primeiro tempo, tirou placar do zero a zero com um belo arremate. E, justamente em um dos pontos fracos do time, a bola aérea. Aos 20 minutos, Nonato cortou errado cobrança de lateral direto para a área, e a bola sobrou para Felipe, que chutou forte, de primeira, direto para o fundo da goleira.

O Inter tentou uma resposta rápida com D'Ale lançando Leo Ferreira, que não alcançou e ficou sentindo. Foi substituído pelo uruguaio Abel Hernández. Coudet mexeu também no ataque, lançando Boschilia no lugar de Fernández. Com as alterações, o time ganhou maior mobilidade e se lançou ao ataque para buscar o empate. O Colorado, então, começou a tentar a qualquer custo os cruzamentos. 

Mesmo com a vantagem no placar, o Fortaleza não recuou e tentou marcar o segundo. Em uma jogada irregular, com impedimento, até conseguiu, mas a arbitragem imediatamente cancelou o tento. O Inter, por sua vez, fazia a bola rodar, não conseguia a infiltração e sofria com a pressão dos mandantes. Por conta das paradas, foram 9 minutos de acréscimo, nos quais a equipe de Coudet esteve mais perto de tomar um novo gol do que marcar. 

Campeonato Brasileiro 2020 - 11ª rodada

Fortaleza 1 
Felipe Alves; Marlon, Quintero (Jackson), Paulão, Carlinhos; Juninho, Felipe, David (Franco Fragapane) e Romarinho (Tiago Orobó); Osvaldo (Yuri Cesar) e Wellington Paulista (Ronald)
Técnico: Rogério Ceni

Inter 0
Marcelo Lomba; Saravia, Moledo, Zé Gabriel, Moisés; Musto, Johnny (D'Alessandro), Patrick (Nonato - Lindoso), Edenílson; Leo Ferreira (Abel Hernández) e Leandro Fernández (Boschilia)
Técnico: Eduardo Coudet

Deixe seu Comentário